MULHERES CAMPONESAS DE INHAMBANE DEBATEM SOBRE AS MUDANÇAS CLIMÁTICAS

Decorreu na passada quarta-feira (06 de Abril)  na cidade de Inhambane, província com o mesmo nome, o debate  sobre as mudanças climáticas entre as camponesas oriundos dos distritos de Inharrime,  Homoíne, Jangamo, Murrombene  entre outros.

 O objectivo do debate era: (i) aumentar o nível de conhecimento sobre mudanças climáticas as mulheres e mulheres jovens; (ii) estudar modelos de como continuar a fazer a agricultura camponesa face à muitos desafios causados pelas mudanças climáticas;  e (iii) traçar estratégias de resiliência e adaptação face as mudanças climáticas e continuar a pautar pela soberania.

  O encontro,  que decorreu sob o lema “ Agroecologia para o empoderamento da mulher no contexto das mudanças climáticas”, enquadra-se nas festividades do dia da mulher moçambicana assinalado aos 07 de Abril, participaram deste diálogo um total de 51 camponesas, dois técnicos da UNAC-sede, os representantes da direcção pronvicial de género  e do parceiro de cooperação Engenheiros Sem Fronteira.

Durante o discurso de abertura, o representante do genero ao nível pronvicial disse que a questão da mudanças climáticas é uma realidade, o papel da mulher e o seu desempenho na agricultura não deve ignorar este fenómeno.

O representante da direcção do género explicou ainda que as mulheres devem partilhar as suas perspectivas e anseios em relação as alterações climáticas de modo a ajustá-los a realidade actual.

Por seu turno,  a representante do parceiro Engenheiros Sem Fronteiras, disse que e importante a voz das mulheres  nas mudanças que estão a acontecer, por isso é fundamental a ideia da mulher para  o esboço de estratégias de resiliência do impacto deste fenómeno que afecta principalmente as famílias camponesas.

Leave a reply